E o disco da Nervosa, hein? Resenhamos para você

Capa de “Perpetual Chaos”, da Nervosa

 

No fim de janeiro a banda Nervosa (SP) lançou o seu mais novo e aguardado álbum, Perpetual Chaos. O lançamento é um reboot no quarteto de thrash metal, que passou por altas tretas após a saída de Fernanda Lira (voz e baixo) e Luana Dametto (bateria), no início de 2020. Do caos que poderia ser perpétuo nasceu um som revigorante, pesado e poderoso, como se a cada riff, a cada grito, saísse um pouco do que nos faz mal. Durante uma pandemia, não consigo pensar em nada melhor para ouvir.

Durante o período de divulgação de “Perpetual Chaos”, a Nervosa lançou um documentário em quatro partes, disponível no canal da Napalm Records, que conta todo o processo de gravação do disco.

“Foi uma experiência maravilhosa com essas meninas, que são todas muito talentosas e fizeram um excelente trabalho. Nunca fiquei tão feliz com o resultado final de um disco. Escolhi o estúdio Artesonao, em Málaga (ESP), por ser isolado, e em um lugar extremamente bonito. Trabalhamos muito, mas tínhamos a melhor vibe entre nós”, elogia Prika Amaral, fundadora da Nervosa e guitarrista.

Com 14 faixas, sendo a última exclusiva para o Brasil (ui!), o álbum “Perpetual Chaos” mostra que o Nervosa ainda continuará por muitos anos nos trazendo orgulho, tal como o Sepultura, que é a principal influência para a faixa título do disco. As canções vão do thrash ao death, mas também trazem como diferencial a influência do black metal.

As canções refletem o momento em que vivemos, com críticas ao conservadorismo, ao capitalismo e à elite social. Como uma boa banda de death e thrash metal, o discurso político voltado para a proteção das minorias, inclusive direitos dos animais (“Kings of Domination”), também falando de abuso sexual (“People of the Abyss”), suicídio (Until the Very End). Entre as participações especiais estão Schmier, do Destruction, na faixa “Genocidal Command”; e Guilherme Miranda, do Entombed AD, na faixa Until the Very End.

https://www.youtube.com/watch?v=AKUgsbP7PXE

“Foi sem dúvida um processo muito intenso em todos os sentidos. Não apenas aprendemos a trabalhar juntos, mas também a nos conhecermos e a convivermos em harmonia. Tenho muita sorte de poder fazer parte de um projeto como este e tenho certeza que com o lançamento deste álbum, a Nervosa dará um passo muito importante em sua carreira. Trabalhar com Martin Furia foi incrível, ele me ajudou a encontrar nuances em minha voz que eu não sabia que tinha. Prepare-se para uma nova era mais poderosa do que nunca!”, elogia Diva Satanica, vocalista.

O disco “Perpetual Chaos” foi lançado no Brasil pelo selo Dynamo e mundialmente pela Napalm Records. O álbum foi gravado, produzido e mixado por Martin Furia, no Artesonao Casa De Grabacion. Com co-produção de Prika Amaral e masterização de Yarne Heylen. Além de Prika Amaral (guitarra) e Diva Satânica (voz), a Nervosa é formada por Mia Wallace (baixo) e Eleni Nota (bateria).

Conheça as canções de “Perpetual Chaos”:

  1. Venomous
  2. Guided By Evil
  3. People Of The Abyss
  4. Perpetual Chaos
  5. Until The Very End
  6. Genocidal Command
  7. Kings Of Domination
  8. Time To Fight
  9. Godless Prisoner
  10. Blood Eagle
  11. Rebel Soul
  12. Pursued By Judgement
  13. Under Ruins
  14. Exija (faixa bônus exclusiva para o Brasil)

 

Siga o METAL SIRIUS nas redes sociais

Instagram Facebook Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *